domingo, 10 de maio de 2015

O Guardião dos Caminhos - A História do Senhor Guardião Tranca-ruas - Rubens Saraceni e Pai Benedito de Aruanda

Nesta obra romanceada, Pai Benedito de Aruanda - através da mediunidade de Rubens Saraceni - irá revelar a história do guardião Tranca Ruas das Almas, ou Mehi Mahar Selmi Laresh.

Pelas palavras do médium: " O Senhor Tranca Ruas e outros Senhores Exus Guardiões têm insistido comigo para que psicografe suas histórias, pois só assim os médiuns umbandistas, os espíritas e os espiritualistas, em geral, saberão quem realmente é Exu: o mistério da Lei e da Vida."

Pelas palavras do Sr Tranca Ruas: "Temos uma origem em comum, irmão de Lei e da Vida: ambos somos Mehis (...) Mehi, na língua ancestral comum a todas as línguas humanas, significa Guardião dos Mistérios. Ogum yê é Mehi, Oxossi é Mehi, Omulu-yê é Mehi, Iá-niim-ça-yê ou Iansã é Mehi (...) Assim temos todos os mistérios, que se chamam Ach-me, e seus Guardiões, que são chamados de Mehis ou Mehas"

O romance é narrado pelo Pai Benedito e complementado por Sr Tranca Ruas. Selmi Laresh vivia no grande Templo Cristalino da Luz Azul, onde foi educado em regime de internato. Aos 13 anos, foi consagrado pelo sagrado Mehi Ogum Sete Lanças. Tinha como mestre o grande Mago da Luz Cristalina. E ambos tinham uma visão persistente, de uma mancha negra repleta de espíritos necessitados.

Quando adulto, se apaixonou por uma moça de outra raça e como isto era proibido, o mago o considerou um caído e o enviou para uma ilha deserta. Depois de um tempo chegou até a mesma ilha a neta do mago Shell-ça, que também fora considerada uma caída por ter tido relações sexuais antes do casamento. Os dois acabaram se apaixonando e tiveram 7 filhos.

Porém Mehi Laribor, ambicioso, resolveu invadir a ilha para se apossar dos mistérios de Shell-ça, Laresh e suas filhas, sacrificando-os para o grande lado negro das forças. Daí aparece Mehi Herfeshi, uma espécie de guardião da família cujo o grande mistério negativo é o seu sexo.

Em passagens confusas e a meu ver bastante fantásticas (ou fantasiosas), Herfesh irá possuir a esposa de Laresh e até suas filhas, para assim proteger seus mistérios e haverá uma luta mental e espiritual entre a família de Laresh, Laribor e o Mago Negro.

Ficha Técnica:
Médium: Rubens Saraceni
Espírito: Pai Benedito de Aruanda
Editora: madras
Páginas: 208

Comentário: Eu já tentei ler vários livros da lavra de Rubens Saraceni, por reconhecer sua importância dentro da Umbanda, mas confesso que tenho dificuldade em entendê-los. Com esta obra não foi diferente. Achei a história muito fantasiosa e voltada para questões sexuais de forma muito crua, sem a delicadeza que eu acho que o tema merece.

Trechos:
Iafershi tocou Shell-çá com seu poderoso negativo. No princípio, foi com delicadeza, mas, aos poucos, foi impondo um ritmo que a deixou alucinada. Em pouco tempo, Shell-çá mergulhou em um êxtase que parecia um delírio interminável. Quando sentiu que ela já não tinha consciência de mais nada, pois tinha sido lançada por inteiro em uma dimensão mental, Iafershi segurou o rosto dela, contorcido pelas vibrações de prazer.

leia mais ►

sábado, 11 de abril de 2015

O Morro das Ilusões - Zibia Gasparetto e Lucius

Romance publicado originalmente em 1969, o O Morro das Ilusões é ambientado na França do século XVIII. Roberto de Merlain é um nobre, prestes a se tornar Duque e dono de toda a riqueza de seu pai. Aventureiro, acaba por se apaixonar por Anete. Deste amor, nasce a pequena Marise. Com receio de perder os títulos e seus bens, Roberto decide se casar com a nobre Alice, com quem tem os flihos Roberto e Julie.

Acreditando que Anete aceitaria ser sua amante, acaba por levar duro golpe ao saber que sua amada havia desaparecido juntamente com a filha. Anete fugiu por não aceitar viver desta maneira e só aí Roberto percebe o quanto amava a jovem. Mas já é tarde demais.

Obviamente, Roberto e Alice não conseguem encontrar a felicidade conjugal. Passado alguns anos, Roberto recebe uma carta de Anete, na qual lhe conta que se casou novamente e que a filha encontrava-se em um convento. O atual marido era muito ciumento e não aceitava a menina. Anete pede a Roberto que vá buscar a filha que está prestes a completar 18 anos.

Roberto então pede a ajuda de Fei Antônio, pároco do vilarejo e decidem juntos que a menina ficará sob os cuidados da irmã de Anete, Liete. É com grande alegria que Roberto e Marise se encontram e passam a desfrutar do amor filial.

Na pequena vila de Atteill iniciam-se rumores acerca da bela jovem e chegam até mesmo a fomentar a ideia de que ela seria amante do Duque, o que acaba por causar imensa raiva em Alice que tenta até se matar.

Além desta trama, temos ainda o acampamento dos ciganos, no qual se encontra Ciro, um rapaz misterioso que vinha promovendo curas entre os aldeões. O chefe deste acampamento é o cigano Pablo, cuja filha fôra desonrada por Roberto e morrera de tristeza. Rublo, filho de Pablo, para se vingar-se de Roberto, resolve seduzir sua outra filha Julie.

Ficha Técnica:
Categoria: Romance
Páginas: 277
Editora: Vida & Consciência

Comentário:
Este livro não me empolgou. Apesar de gostar de romances históricos, achei a narrativa um pouco cansativa e a trama não me prendeu a atenção. A fonte é pequena e muito desconfortável.

Trecho:
Todos nós temos fraquezas que devemos vencer. Deus nos criou perfeitos, mas sem consciência da nossa perfeição. Os problemas da nossa vida vêm para desenvolver nossa consciência e nos ensinar a forma mais adequada de viver bem. Quando alargamos nossa consciência, descobrimos os verdadeiros valores do espírito eterno e vamos atirando fora os entulhos e entraves que nós mesmos criamos. Olhai para dentro de vós e verificai como tendes conduzido vossa vida. Analisai as atitudes que tendes tomado e o quanto elas têm contribuído para vossa infelicidade. Se o fizerdes com sinceridade, verificareis como destes vossa contribuição para as situações que vos preocupam no momento presente. Procurai compreender o temperamento do vosso esposo. Percebeis que, apesar da sua fraqueza de caráter, ele é possuidor de nobres qualidades que modificariam vosso relacionamento familiar, se não as houvéssemos destruído com o vosso desprezo, vosso antagonismo. Pensai e talvez compreendais que um homem de temperamento sensível e amoroso se sinta um estranho em seu próprio lar e mascare o tédio com aventuras galantes. Aprendei a perdoar! Esquecei o passado e buscai rodeá-lo de uma atmosfera carinhosa. Vereis como aos poucos ele se tornará realmente um bom companheiro. Porque, mesmo quando um homem amou outra mulher que não a sua esposa, esta poderá com suas atitudes conquistar seu respeito e um amor duradouro cimentado através dos anos pela convivência, pelas lutas e pelos sofrimentos em comum. São olhos do orgulho e do ciúme que a estão inspirando. Nós não podemos exigir sempre sem dar nada em troca. A felicidade é uma conquista digna daqueles que se esforçam por alcançá-la. Se outra tivesse sido vossa atitude durante todos esses anos, vosso esposo certamente se teria tornado diferente para convosco. (pg 170)
leia mais ►

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Orixás - Teogonia de Umbanda - Rubens Saraceni

Lançado em 2012, este livro é de autoria de Pai Bendito de Aruanda através da mediunidade de Rubens Saraceni, sacerdote umbandista e mago, que desencarnou recentemente e deixou um legado de mais de 50 obras publicadas.

Em Orixás - Teogonia de Umbanda, encontramos uma obra muito interessante sobre as divindades do panteão africano, sob a ótica da religião de Umbanda Sagrada.

Teogonia é o conjunto de divindades cujo culto constitui o sistema religioso de um povo; genealogia dos deuses. Uma divindade é em si mesma manifestação de Deus por meio de uma de Suas qualidades divinas.

Para os autores, na Umbanda Sagrada temos 7 pares de Orixás e cada um deles é responsável por um trono sagrado. São eles:
  1. Oxalá rege a Fé
  2. Oyá Tempo rege a religiosidade
  3. Oxum rege a concepção
  4. Oxumaré rege a renovação
  5. Oxóssi rege o conhecimento
  6. Obá rege o raciocínio
  7. Xangô rege a justiça
  8. Iansã rege o direcionamento
  9. Ogum rege a ordem
  10. Egunitá rege o equilíbrio
  11. Obaluaê rege a evolução
  12. Nanã Buruquê rege a maturidade
  13. Iemanjá rege a regação
  14. Omulu rege a estabilidade
Os Orixás formam pares ativos-passivos, sendo que os à direita atuam de forma passiva e permanentemente, de forma contínua e estável na vida dos seres; já os à esquerda, atuam de forma ativa e condicionalmente, de forma alternada e não estável.

Como exemplo, os autores recorrem ao grande Orixá Oxalá, que irradia a fé o tempo todo, mas quando um ser desvirtua seu campo da fé, vem Oyá Tempo e atua de forma condicional para promover o equilíbrio daquela pessoa. E assim acontece com todos os Orixás e o livro traz exemplos de cada um deles:
  • Irradiação da Fé: Oxalá irradia a Fé e Oyá Tempo retifica as religiosidades desvirtuadas;
  • Irradiação do Amor: Oxum agrega e concebe as coisas animadas e inanimadas e Oxumaré renova, diluindo as agregações desequilibradas;
  • Irradiação do Conhecimento: Oxóssi rege o conhecimento e atua na vida dos seres expandindo em cada um sua capacidade de raciocinar e Obá atua abrindo as mentes para verdades maiores;
  • Irradiação da Justiça: Xangô é o fogo que nos purifica e Iansã é o ar que areja nosso emocional;
  • Irradiação da Lei: Ogum é a ordenação divina e Egunitá é o aspecto punitivo da Lei Maior;
  • Irradiação da Evolução: Obaluaê rege a evolução dos seres e é o Senhor das passagens dos estágios e planos da vida e Nanã é a decantadora dos vícios e desequilíbrios, os adormece preparando-os para a reencarnação;
  • Irradiação da Geração: Iemanjá é a Mãe da vida e Omulu é o guardião, pois paralisa todos que atentarem contra ela.
Comentário: a Umbanda possui diversas vertentes e muitos irão estranhar esta classificação dos Orixás. Isto é natural, visto que cada casa e cada sacerdote tem sua forma de cultuar as divindades. Para quem quiser conhecer a forma divulgada por Pai Rubens e por seus seguidores, este livro é uma ótima opção. Tem 175 páginas e traz um resumo sobre a atuação dos Orixás em nossa vida.

Trecho: 
...um "cutucão" nos pastores mercantilistas
Mas outros, ao serem conduzidos por Exu para longe da Umbanda, pois só vibravam por seus polos negativos, não se emendaram. E aí, bem...aí se transformaram em grandes mercadores religiosos e ótimos polos magnéticos cósmicos à disposição de Exu, que lhes envia todos os médiuns que tiveram suas coroas abandonadas pelos seus Orixás regentes. Sim, o mais famosos dos atuais pastores mercantilistas é regido pelo guardião cósmico do aspecto negativo do Orixá Oxalá (...) Este senhor já fez muitos favores à Umbanda, acolhendo médiuns que descaracterizaram sua mediunidade. (pg 95)
leia mais ►

segunda-feira, 30 de março de 2015

Umbanda de todos nós - W. W. da Matta e Silva

Considerado por muitos anos um dos mais importantes livros sobre Umbanda, esta obra foi lançada em 1956 e encontra-se agora na 16ª edição.

W. W da Matta e Silva foi o precursor da vertente denominada de Umbanda Esotérica. Desencarnou em 1988 e deixou seu legado ao sacerdote Rivas Neto. Saiba mais, clicando aqui.

Em Umbanda de Todos Nós, Matta e Silva tenta fazer o que muitos fazem ainda hoje: explicar e fundamentar a religião. Entretanto, como sabemos, cada casa umbandista segue sua própria ritualística e os livros apenas dão uma noção dos conceitos gerais da religião.

Encontramos no começo da obra um prefácio escrito por Rivas Neto contando sobre sua convivência com seu mestre e exaltando suas qualidades.

Depois o livro é dividido em três partes. Na primeira parte, Pai Matta define o que é Umbanda, suas sete linhas e apresenta um mapa da Numerologia da Lei De Umbanda.

Na segunda parte, encontramos explanações sobre como se apresentam os espíritos na Umbanda, mediunidade, ritualística, banhos, defumadores, guias e a Lei de Pemba.

Na terceira parte, o autor escreve sobre a parte magística da Umbanda.

O livro traz 5 encartes com mapas que ilustram várias revelações de Matta e Silva.
Clique na imagem para ampliar
 
Matta e Silva tinha o hábito de escrever usando grifos, negritos e letras maiúsculas (caixa alta) para enfatizar seus pensamentos. Trata-se de obra raríssima, que esteve esgotada até o final do ano passado. Mesmo sendo considerado "ultrapassado" por algumas vertentes umbandistas, considero um livro importantíssimo para todo médium e estudante da religião, pois trata-se de um clássico da literatura umbandista. Possui 256 páginas e no site da Ícone Editora é possível ler alguns trechos do livro. Clique aqui.

Vídeos sobre Matta e Silva disponíveis no YouTube


leia mais ►

segunda-feira, 9 de março de 2015

Morre Rubens Saraceni, sacerdote e escritor umbandista

É com grande pesar que informamos o desencarne do Pai Rubens Saraceni, sacerdote e escritor umbandista, mago iniciado e fundador do Colégio de Umbanda Sagrada Pai Benedito de Aruanda.

A nota de falecimento foi publicada em seus perfis oficiais no Facebook por volta do meio dia de hoje, 09 de março.

Nascido em Osvaldo Cruz em São Paulo em 1951,exerceu sua mediunidade por mais de 30 anos e deixa um legado com mais de 50 livros publicados.

Pai Rubens também foi o fundador do Colégio Tradição de Magia Divina e formou inúmeros novos sacerdotes, que hoje ensinam e divulgam esta vertente chamada de Umbanda Sagrada.

Nós do Blog do Livro Espírita agradecemos ao Pai Rubens por tudo que ele fez em prol da desmistificação da Umbanda, desvendando muitos dos antigos mistérios da religião. Pai Rubens fez de nós umbandistas, antes de mais nada, eternos estudantes. 
 
nota de falecimento publicada no Facebook

Acreditamos que Aruanda esteja em festa com seu retorno e que Pai Benedito o está acolhendo em seus braços amorosos. Axé! Retorne em paz!

Nota de falecimento e homenagem da fan page "Umbanda, eu curto"

Salmo 23 Umbandista:Oxalá é meu Pastor, nada me faltará! Deitar-me faz nos verdes campos de Oxossi. Guia-me Pai Ogum mansamente nas águas tranquilas de Nanã Buruquê. Refrigera minha alma Pai Obaluaê. Guia-me, mãe Iansã, pelas veredas da justiça de Pai Xangô. E ainda que eu ande pelo vale da sombra e da morte de Omulú, não temerei mal algum porque Zambi está comigo e o cajado de Oxalá é meu guia na direita e na esquerda Me consola mamãe Oxum, prepara uma mesa cheia de vida para mim, oh mãe Iemanjá! Exú e Pomba Gira afastem de mim os inimigos da caminhada. Unge a minha coroa com o óleo consagrado de Olorum e o meu cálice, que é meu coração, transborde com a pureza da Ibejada...E certamente, a bondade e a misericórdia de Oxalá estarão comigo por todos os dias de minha vida!Saravá!

***atualização em 13/03/2015
Segundo consta nesta publicação, Pai Rubens faleceu em decorrência de um câncer ocasionado pelo uso de tabaco.


leia mais ►

domingo, 8 de março de 2015

A Alma da Medicina - Robson Pinheiro e Joseph Gleber

Lançado no ano passado pela Editora Casa dos Espíritos, em A Alma da Medicina encontramos valiosas considerações do espírito Joseph Gleber, o mesmo autor espiritual de Além da Matéria. Médico e físico nuclear, o benfeitor é integrante do grupo intitulado de Os Imortais - segundo informações colhidas em outras obras do médium Robson Pinheiro.

O livro é voltado especialmente aos profissionais de saúde e aos médiuns de cura. Joseph Gleber nos faz refletir sobre a importância de ter empatia perante a  dor do outro; de buscarmos os métodos mais eficazes para curar ou amenizar as enfermidades do corpo e da alma; aborda também a atual questão de que é  essencial se fornecer ao médico e aos demais profissionais boas condições de trabalho; explica que nem sempre o médico carnal ou espírito conseguirá promover a cura, pois a espiritualidade respeita o carma de cada ser humano.
Onde está a alma da medicina? Será que se deve tratar o enfermo de maneira a prolongar sua dor, esperando resultados por vias ditas mais brandas, enquanto se pode estancar imediatamente o sofrimento ou provar que o método defendido por alguém é mais eficaz, brando e menos invasivo? (...) Ante uma infecção, uma pneumonia, o que é mais adequado? Usar o antibiótico, que poderá amenizar, curar e erradicar o problema com maior rapidez, ou recusá-lo e lançar mão apenas da homeopatia, da fitoterapia e de medicamentos energéticos, enquanto se prolonga o sofrimento e se agravam os sintomas? (pg 44)
Frequentemente, as condições de trabalho são desrespeitosas e mesmo ultrajantes; em muitos lugares, assistimos ainda á desconsideração com a pessoa do médico, do enfermeiro e dos demais profissionais da área. Não devemos perder de vista que se está diante de pessoas que são, apenas, humanas. (pg 50)
Geralmente as doenças que estão formatadas, programadas no código genético do indivíduo tem causa anterior à vida atual, ao presente estágio físico. (pg 59)
Em sua opinião, o médico é um sacerdote da ciência, que exerce papel de orientador, estimulador dos processos de manutenção e preservação da saúde humana; Joseph Gleber incentiva a busca de uma medicina mais humanizada, onde o enfermo seja visto como um ser também espiritual. Considera os avanços tecnológicos da área, porém aponta um engessamento da afetividade dos profissionais.
Parece mesmo que, à medida que aumentaram os recursos tecnológicos, diminuíram sensivalmente as habilidades clínicas de observação. (...) Nunca se empregou tanta tecnologia no trabalho da saúde como nos dias atuais. No entanto, a pressa de atender para satisfazer a necessidade ou as exigências do sistema, o pouco de tempo dedicado a cada consulente, a falta de atenção á sensibilidade da pessoa que procura o tratamento, entre outros fatores, muitas vezes contribuem para que o profissional de saúde acerte cada vez menos. (pg 76)
Elucida também a questão cármica dos profissionais de saúde , informando que são seres que no passado assumiram dívidas imensas com o ser humano, perante as leis Divinas, ceifando vidas, desrespeitando-as e, em muitos casos, atentaram contra a própria vida. (Fiquei pensando no que eu devo ter aprontado, para renascer como médica e médium rs)

Passando já para a questão da mediunidade, encontramos elucidações sobre o magnetismo e o uso do ectoplasma nos processos de cura e tratamento. No capítulo 19, Joseph Gleber fala sobre sexualidade e  mediunidade, revelando que os médiuns ectoplastas (doadores de ectoplasma)  possuem uma maior necessidade de sexo. (esta parte vai mexer com muita gente)
É muito comum que tenha a sexualidade mais exacerbada e os desejos sexuais relativamente mais pujantes que a maioria das pessoas. Isso não é sintoma de desequilíbrio do médium. Sexualidade ativa é diferente de desequilíbrio e promiscuidade. Somente pessoas sem preparo ou estudo, afeitas a conceitos estanques, são incapazes de distinguir uma coisa da outra. (...) Privar-se de sexo não eleva ninguém. (...) O ideal é que o médium doador de ectoplasma, de fluídos magnéticos, de forma geral, tenha atividade sexual regular, desse modo evitando que seja vampirizado, em desobramento tanto quanto em vigília, por entidades de oposição interessadas naquele potencial. (pgs 268 e 289)
Ficha Técnica:
Gênero: Saúde e mediunidade
Ano de lançamento: 2014
Edição atual: 2 | 10 mil exemplares
Páginas: 416
Acabamento: brochura

Comentário:
O livro é longo, com 416 páginas, porém a fonte é grande e confortável. Os capítulos são instigantes e alguns trazem revelações que pelo menos para mim eram desconhecidas. Realmente a medicina de hoje está muito mais tecnológica e menos humanitária. Também é fato de que nós profissionais de saúde necessitamos de melhores condições de trabalho. Vale salientar a questão de que nem todas as doenças podem ou devam ser curadas, visto que existe a questão cármica, o merecimento de cada um e o fato que de que algumas enfermidades acontecem justamente para impedir maiores quedas.

Vejo o espírito Joseph Gleber como um pai amoroso; tem grande autoridade moral sem ser autoritário. Sinto em suas palavras o imenso amor que tem pela humanidade e o desejo sincero de ajudar. Sua linguagem é coerente, demonstrando uma ótima capacidade de comunicação de suas ideias. Tenho grande admiração por este Imortal.

E este livro faz bem para a alma e está super indicado a profissionais de saúde, especialmente os que se sentem cansados e exauridos de tão árdua missão.

Clique aqui para ler uma degustação de A Alma da Medicina.


leia mais ►

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Abraço de Pai João - Wanderley Oliveira e Pai João de Angola

Quem não se lembra do Pai João que nos brindou com o livro Fala, Preto-velho? Pois o adorável paizinho retorna agora com a personalidade de sua última encarnação, o educador Cícero Pereira, que foi considerado por seu contemporâneo, Chico Xavier, como um embaixador do Evangelho.

Lançamento da Editora Dufaux, Abraço de Pai João, foi ditado ao médium Wanderley Oliveira e tem como tema central a carência afetiva.

Segundo consta na apresentação deste livro, Pai João prefere utilizar a roupagem de preto-velho pois é assim que ele gosta de ser, visto que a encarnação como escravo foi decisiva  para a aquisição da aceitação, da amorosidade e do perdão. Que lorvado seja nossu sinhô Jesum Cristo, muzanfio!

Na presente obra, Pai João narra histórias acontecidas durante seus plantões no Hospital Casa da Piedade, situado no plano espiritual da cidade de Belo Horizonte. O benfeitor conta com o auxílio da enfermeira Carminha e do querido Dr. Inácio Ferreira que, por sinal, é quem escreve o prefácio do livro.
Sem dúvida, essa necessidade natural de amar e ser amado é um princípio fundamental para a sanidade humana, física e mental. Na ausência desse alimento, instala-se a falta de nutrição afetiva, gerando uma sensação de vazio no peito que tentamos preencher com o amor de alguém. Em um estado extremo de carência, um sorriso dado por puro sentimento de simpatia pode ser interpretado como interesse em um sério compromisso afetivo. Não estou brincando. isso acontece. (Prefácio - pg 13)
O que teria em comum os personagens Hanna, Laerte, Hilda e Irene,´além do fato de estarem sendo socorridos na Casa da Piedade? Hanna desencarnou vítima de um câncer no fígado; Laerte é um espírita recém-desencarnado que esperava ir diretamente para a colônia Nosso lar; Hilda tentou suicídio e Irene está  passando por um processo obsessivo decorrente de magia negra.

No desenrolar dos dramas destes 4 personagens, Pai João vai nos mostrando que todos sofrem de gravíssima dependência emocional  e recomenda, entre outras coisas, a prática do autoamor como forma de cura.

Através de suas prosas, Pai João com a típica sabedoria dos pai velhos, apresenta também importantes lições doutrinárias, especialmente sobre mediunidade.

E, ao final, ainda temos a formação de um casal homoafetivo, cujo encontro já estava planejado pelo mundo espiritual.

Ficha Técnica:
Médium:Wanderley Oliveira
Espírito:Pai João de Angola
Gênero:Romance
Páginas:224 

Comentário:
O livro é lindo, encantador, envolvente e mexe com a gente, já que quem é que não possui algum grau de carência afetiva?

Particularmente, eu adoro livros que narram e explicam o funcionamento dos trabalhos espirituais na contraparte astral e isso também encontramos em Abraço de Pai João.

O livro é imperdível! Um super presente da espiritualidade!

E a parte gráfica está impecável, o que é uma marca da Editora Dufaux.

Trechos: (clique na imagem para ampliar)
Sobre a mediunidade
Sumário

leia mais ►

  ©Blog do Livro Espírita | Todos os direitos reservados | Template exclusivo Dicas Blogger