segunda-feira, 27 de julho de 2015

Somos amigos - Juliano Leal de Carvalho e Antônio da Cruz

Somos Amigos é um romance de temática umbandista ditado pelo espírito Antônio da Cruz ao advogado piauiense e dirigente espiritual  Juliano Leal de Carvalho.

Nesta obra encontramos a história de Gustavo, um jovem que vem passando por uma série de dificuldades e que, através de um casal de vizinhos solidários, acaba por conhecer a Umbanda.

A esposa de Gustavo desencarnou recentemente por um câncer uterino e logo após seu filho pequeno Artur recebeu o diagnóstico de Leucemia. Em meio a tanta dor, Gustavo acaba perdendo também o emprego para poder cuidar do filho, já que se via totalmente sozinho no mundo. Mas seus vizinhos Zé dos Anjos e Maria, orientados pela entidade Zé Pelintra, passam a ajudar esta família e acabam por conseguir levar pai e filho ao terreiro de Umbanda que frequentam.

No terreiro dirigido por Mãe Zefa, Gustavo encontra esperanças na recuperação de Artur e, com o passar do tempo, descobre que o menino é médium e que tem uma nobre missão pela frente.

Mãe Zefa incorpora Zé Pelintra, que nesta obra vem na falange das Almas e é este benfeitor que irá cuidar da cura de Artur e do seu desenvolvimento mediúnico. É por indicação de Sr. Zé que Gustavo procura o médico oncologista Dr. Fernando que realizará um transplante de medula no menino.

Em meio a trama, os autores vão mostrando alguns fundamentos da Umbanda e descortinando um pouco do que acontece na contraparte astral de um terreiro.

Ao final, Zé Pelintra irá revelar os motivos de todos os sofrimentos dos personagens e das ligações entre Gustavo e Artur com Zé dos Anjos, Maria, Mãe Zefa e Dr. Fernando.

Ainda hoje não é comum encontrarmos romances neste formato dentro da doutrina umbandista; a maioria dos livros ou são teológicos ou muito fantasiosos. Em Somos Amigos temos uma história baseada na Lei da Causa e Efeito e da reencarnação, utilizando de uma linguagem simples e de fácil entendimento. Trata-se de uma boa opção de leitura aos irmãos umbandistas e simpatizantes. Salve a falange de Zé Pelintra!

Trecho:
- Meu caro amigo, é uma satisfação sua visita a nossa casa, pena o momento não ser dos melhores, mas certamente daqui a alguns será!
- Venho acompanhando a caminhada de vocês já há algum tempo e os filhos da casa tem compartilhado comigo as aflições pelas quais tem passado, meu filho...
- Hoje, vamos iniciar uma caminhada que não será das mais fáceis, mas será vitoriosa.
- Meu nome é Zé Pelintra, trabalho na linha das almas, auxiliando quem está desencarnando, está desencarnado recentemente ou há algum tempo, porém, ainda sem encontrar o caminho da liz, muitas vezes por recusa em se desligar do mundo material. Porém, também atuo no auxílio aos encarnados, na linha de cura, auxiliando os tratamentos das mais diversas doenças.
- Sei, desde que iniciei os trabalhos nesta casa, que sua chegada já estava prevista e que se daria pelas mãos destes nobres amigos porque o destino desta casa e de vocês estão entrelaçados. (pg 73)
O livro "Somos Amigos" está disponível para venda no site Quitanda dos Orixás. Clique aqui para adquirir o seu exemplar. Acesse também a página no Facebook.

leia mais ►

domingo, 19 de julho de 2015

Dona Lilica, a benzedeira - Vovó Benta e Leni W. Saviscki

Trata-se de uma singela obra de autoria de Vovó Benta, espírito que se apresenta como uma adorável preta-velha e costuma narrar em seus livros fatos ocorridos na contraparte espiritual de terreiros de Umbanda. É autora das obras Natureza, onde reinam os Orixás, Causos de Umbanda e Enquanto Dormes.

No livro em questão, Vovó Benta nos conta a história de Lilica, uma senhorinha simples e humilde mas com uma nobre missão: ser benzedeira. A narrativa se inicia com D. Lilica já velhinha recordando fatos de sua vida. Quando jovem, se apaixonou por Lourenço e foi correspondida, mas como o rapaz era rico e de família nobre, o romance não pôde ir para frente. Lembra-se também de quando começou a benzer e dos sonhos que sempre teve com sua mentora espiritual, Vovó Dita, que em desdobramento explicava à menina o funcionamento da benzedura:
- Filha, benzer é um ato sagrado, é uma missão que algumas pessoas escolhidas recebem antes de voltar para a terra. Os benzedores são operadores que servirão de canal aos espíritos curadores que vem auxiliar a curar doenças e males causados por forças virulentas que acometem as pessoas. Faça isso sempre com muito amor, fé no Criador e usando em suas mãos um catalisador, que poderá ser um objeto de aço - sempre limpo no fogo - um rosário bento ou um ramo verde. (pg 14)
 Dona Lilica vai relembrando dos "causos" que atendeu, das curas que proporcionou através da espiritualidade e do merecimento de cada um. E entre lembranças e devaneios, desencarna sentada em sua velha cadeira de balaço, amparada por Vovó Dita.

No plano espiritual adapta-se com muita facilidade, já que na terra viveu de forma muito simples e abnegada, praticando a caridade de domingo a domingo. Curiosa, deseja saber por onde anda seu grande amor Lourenço e é orientada por Vovó Dita que o reencontro aconteceria no momento certo.

Dona Lilica passa a auxiliar nos trabalhos juntos a desencarnados sofredores. Visita a igrejinha de sua cidade, amparando o Padre Inocêncio em seu desencarne; conhece uma igreja evangélica, cujo pastor pregava inspirado por seu mentor espiritual, mas que não conseguia tratar bem os casos de obesessão devido á rigidez de sua religião; vai também a um centro espírita e a um terreiro de umbanda, estudar e auxiliar. 

Vovó Benta revela que espíritos benfeitores labutam em toda e qualquer templo religioso, explicando que as diferentes religiões são necessárias devido aos vários padrões vibratórios ainda existentes em nosso planeta.
Durante a bênção das hóstias pelo sacerdote, alguns espíritos que emanavam intensa luz de seus coronários, irradiavam e canalizavam através dele energias em forma de gotículas prateadas que preenchiam o cálice sagrado. (pg 33)
 Era dia de socorro aos desencarnados e já se fazia visível a grande fila destes, que se avolumava no ambiente. Amparados por trabalhadores espirituais, alguns deles, ainda alienados nem mesmo sabiam onde estavam e quem eram. Seus corpos espirituais maculados pelo tempo que se encontravam imantados à lugares de sofrimento e dor pelos destemperos emocionais, agora já um pouco aliviados, encontrariam naquele ambiente, através do choque anímico com os médiuns, o despertar de suas consciências ( pg 46)
Enquanto o pastor explanava o texto bíblico, com amor no coração, era assim intuído por aquele mentor espiritual. O seu desejo de ajudar aquele povo sofrido, sendo na maioria pessoas humildes, fazia com que tivesse amparo da Luz. (...) Exaltava o poder de Jesus, mas tratava os espíritos sofredores como demônios, expulsando-os para o inferno. Imediatamente a ligação que mantinha com seu mentor se desfazia. (pgs 55 e 56)
As luzes da cidade brilhavam por todas as partes, das formas mais variadas e coloridas, mesmo assim, todas elas juntas não conseguiam se igualar em intensidade e beleza, a que jorrava daquela pequena casa. -Vó Dita, conforme vejo a indicação na porta, aqui é um terreiro de Umbanda. Confesso que estou curiosa.(...) Lilica, assim como alguns outros espíritos que ali estavam pela primeira vez, observava tudo atentamente. As cantigas recomeçavam chamando ao trabalho as entidades espirituais que irradiariam os médiuns, a quem denominavam "pretos-velhos". Admirada, Lilica percebia muitos daqueles espíritos ali presentes atuando fortemente sobre o chacra básico do médium. (...) A ligação mental se dava por fios tenuíssimos do cérebro de um com o outro. (pgs 70 e 71)
E Dona Lilica segue aprendendo e auxiliando.  Mais adiante, assume o arquétipo de preta-velha para trabalhar na Umbanda...mas e quanto ao Lourenço? Bom, vocês vão ter que ler o livro pra saber o final da história ;)

O livro tem 95 páginas, com fonte grande e confortável; a linguagem é de fácil entendimento e a história é super envolvente. Salve as benzedeiras!





leia mais ►

sábado, 11 de julho de 2015

Amigos da Luz - humor e espiritismo


Uma das modas atuais entre os internautas é assistir vídeos de humor no YouTube. Encontramos canais de muito sucesso, tais como o Porta dos Fundos e o Parafernalha, produzindo histórias divertidas e engraçadas e com ótima qualidade técnica.

Agora imaginem se pudéssemos assistir vídeos de humor e bem produzidos, mas com conteúdo doutrinário espírita? Pois bem, o Canal Amigos da Luz tem esta proposta.

Os integrantes do canal Amigos da Luz são atores de uma companhia de teatro profissional, especializados em comédia. Saiba mais clicando aqui.

Confesso que assisti todos os vídeos de uma vez só, pois não tinha como parar de tão bons que são. Destaque para Taca-lhe Passe, onde encontramos uma passista "deslumbrada", querendo aplicar suas "técnicas" avançadas de passe e Toma lá da cá, onde o personagem está tentando barganhar com a espiritualidade para amenizar suas provações e ao final descobre que elas já estão parceladas.

Aproveito a oportunidade para parabenizar estes jovens atores pela iniciativa.




https://www.youtube.com/user/CiaAmigosDaLuz/videos

leia mais ►

domingo, 28 de junho de 2015

Entrevistas com os espíritos - Vera Lúcia Marinzeck e Antônio Carlos

Lançado em 2011 pela Petit Editora e de autoria do espírito Antônio Carlos, esta obra trata de reencarnação e Lei da Causa e Efeito.

Antônio Carlos já é bastante conhecido no meio espírita. Foi ele um dos mentores de Patrícia em Violetas na Janela e publicou muitos livros através da mediunidade de Vera Lúcia Marinzeck.

Já no início da presente obra, Antônio Carlos nos conta que gosta de "prosear', de ouvir com atenção, que é ajudando que somos ajudados e que trabalha como um repórter do além.

Para redigir este livro, o querido benfeitor faz entrevistas com espíritos que já passaram por muitos sofrimentos; alguns ainda estão cambaleantes, outros já aprenderam algumas lições relevantes e outros tantos ainda se encontram inconscientes das Leis Divinas:
  • obsessores e obsediados;
  • espíritos que sofreram de Mal de Alzheimer; 
  • assassinados e homicidas; 
  • toxicômanos;
  • pessoas que se perderam no dom da palavra; 
  • médiuns que fizeram mal uso deste dom;
Os casos são interessantíssimos e prendem nossa atenção. É pouco provável que o leitor não se identifique com pelo menos uma das histórias narradas. O aprendizado é grande. Observa-se como a Lei da Causa e Efeito é implacável mas também  sábia e justa.

A melhor maneira de prevenção da dor é não se fazer o mal e a melhor forma de reparação é o amor.  “Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” (1 Pedro 4:8).

Trechos:
O obsediado é um ser obsesso, atormentado, perseguido. O obsediado é quase sempre vítima, no momento da obsessão, de uma vingança. Pode ter sido algoz anteriormente. Normalmente, sente remorso inconsciente e medo, o que o fazem sentir complexos de inferioridade e culpa. É enfermo espiritual necessitado de tratamento e, na maioria dos casos, a enfermidade atinge o físico. Fluidos perniciosos normalmente saturam o perispirito. (pg 31)
Book Trailer:

leia mais ►

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Entrevistando André Luiz - Jamiro dos Santos Filho

Lançado em 2010 pela EME Editora, este livro traz uma proposta muito interessante. O autor reuniu trechos das obras do espírito André Luiz ( autor de "Nosso Lar" e outros clássicos da literatura espírita) e montou uma entrevista fictícia, abordando temas relevantes sobre a vida do querido Benfeitor e outros de fundo religioso e do nosso cotidiano.

Desencarnação precoce, linguagem dos espíritos, trânsito entre as esferas espirituais, gravidez, anjos da aguarda, mediunidade, vícios, atividades durante o sono, sexo, suicídio, reencarnação - tudo sob a ótica de André Luiz!

Ao final de cada resposta, encontramos a citação do livro correspondente.

Ficha Técnica:
Título: Entrevistando André Luiz
Autor: Jamiro dos Santos Filho
Páginas: 160
Categoria: entrevista

Comentário:
Gostei do livro. Considero um "resumão" das obras do querido André Luiz e achei a proposta do autor muito criativa.
A diagramação é simples, mas encontramos conforto no tamanho das letras.

Trecho:
Clique na imagem para ampliar


leia mais ►

domingo, 21 de junho de 2015

Cartilha do Médium Umbandista - Norberto Peixoto

Este é o segundo volume da trilogia "Registros de Umbanda", que começou com o livro Iniciando na Umbanda. É um lançamento da Livraria do Triângulo e de autoria de Pai Norberto Peixoto, sacerdote dirigente do Templo de Umbanda Triângulo da Fraternidade.

Nesta obra, Pai Norberto, inspirado pelo Caboclo Pery, enfatiza os aspectos comportamentais dos médiuns. Como o próprio nome já diz, trata-se de uma cartilha com orientações essenciais aos médiuns de Umbanda.

Todo iniciante na Umbanda possui inúmeras dúvidas, medos e incertezas e o estudo sistemático torna-se imprescindível para a auto-confiança mediúnica.
...pois o médium tem que estudar sempre; são subsídios indispensáveis ao tipo de mediunidade vigente na atualidade, mais intuitiva e consciente, cada vez menos sonambúlica, fenomênica e inconsciente. (pg 9)

O livro começa com uma apresentação sobre Caboclo Pery, entidade chefe deste terreiro. A seguir, o autor discorre sobre o medo da incorporação, a importância do período como aspirante, o tempo de formação de um verdadeiro filho de pemba e os primeiros passos dentro de um terreiro.

Sabemos que muitos neófitos desejam entrar numa corrente mediúnica e já sair dando passes e consultas.Isto é inadequado, pois é importante ter um período de adaptação e de desenvolvimento da mediunidade, de conhecimento dos Guias e Orixás regentes e de integração com os rituais da casa.
Contudo, há que se diferenciar que, para ser um médium de Umbanda, aceito e iniciado numa corrente, numa egrégora, numa comunidade religioso como trabalhador ativo, além de frequentar a assistência o tempo adequado para ser reconhecido pela cúpula espiritual do terreiro, são necessários inúmeros atributos morais, intelectuais, procedimentais e vocacionais, além, obviamente, de mediunidade ativa, de fato,no caso de médiuns que serão trabalhadores no aconselhamento espiritual durante as sessões práticas de caridade. (pg 34)
Alerta ainda sobre os cursos online que prometem iniciações inclusive sacerdotais.
Infelizmente, hoje verificamos muitas "iniciações" tipo fast-food (rápidas), verdadeiros placebos, sem efeito algum. Temos até iniciações à distância feitas de forma online em alguns cursos pela internet. A simples "iniciação" de um indivíduo, desprovido desses atributos básicos e essenciais, e ainda sem mediunidade, não o habilita como um iniciado legítimo e legitimado com direito ao pertencimento na Corrente Astral de Umbanda. (pg 34)
Portanto é preciso ter paciência e respeitar os preceitos do terreiro em que nos encontramos vinculados.

A partir daí, o autor irá explicar aos iniciantes os rituais de terreiro, demonstrando o porque cada coisa é feita dentro da liturgia e com objetivos diversos, inclusive o de melhorar a sintonia com os Guias.  Explica ainda como é realizada a Reforma ìntima dentro da Umbanda.
Uma grande confusão de conceitos, a nosso ver por ignorância no sentido de puro desconhecimento, são as pessoas de fora da religião façlarem que na Umbanda não existe reforma íntima. A estrutura de personalidade do médium vai se moldando pelas repetidas incorporações, que vão lhe modificando as predisposições mais íntimas no psiquismo (...) A psicologia da Umbanda não é rasa como os olhares apressados dos preconceituosos, que não conseguem percebê-la, muito menos vivenciá-la (...) O trabalho de transformação dos médiuns é silenciosos e vai se dando de maneira vagarosa, pela atuação dos guias espirituais. (pg 57)

Ao final, encontramos o regimento interno do Grupo de Umbanda Triângulo da Fraternidade, que para alguns vai parecer bastante rígido.

Na minha opinião, trata-se de um livro obrigatório aos novos médiuns, pois fornece explicações para muitas das dúvidas dos aspirantes a uma corrente mediúnica de Umbanda e demonstra a importância do estudo e da disciplina, evitando assim que o futuro médium se perca no animismo e nas mistificações.

A Umbanda não é uma religião de conversão, que busca cooptar adeptos para sua doutrina. É impossível encontrarmos uma genuína entidade que faça parte do movimento umbandista no Plano Astral dizer que esta ou aquela religião é a mais verdadeira, muito menos exigir-se que se deva entrar numa determinada confissão religiosa, culto, igreja, doutrina ou seita. O caráter respeitoso se encontra em todos os terreiros e podemos verificar na assistência a diversidade e a mistura, com todos juntos sentados lado a lado democraticamente. (pg 16)
Além de escrever livros doutrinários, Pai Norberto Peixoto possui um canal no Youtube onde ministra aulas gratuitamente. Para adquirir este livro e conhecer os outros lançamentos da Livraria do Triângulo, acesse  o site: http://livrariadotriangulo.com/

leia mais ►

sábado, 20 de junho de 2015

Lei da Causa e Efeito ou Lei da Ação e Reação

Acredito que a grande maioria dos que aqui estão já tiveram o prazer de ler um bom romance espírita. Quase todas as obras romanceadas possuem uma formatação bastante semelhante: os personagens sofrem e sofrem muito e ao final do livro os autores espirituais revelam que as causas das dores presentes encontram-se em uma ou mais encarnação passada, certo?

E por que isto acontece? É devido a uma Lei de Deus, universal e imutável denominada Lei da Causa e Efeito ou Lei da Ação e Reação. Esta Lei visa dar a cada um conforme suas obras (Mt: 16: 27), demonstrando assim a Justiça Divina.

A Lei da Causa e Efeito está dentro dos princípios fundamentais do Espiritismo:
  1. existência de Deus
  2. imortalidade da alma
  3. lei de causa e efeito
  4. reencarnação
  5. comunicabilidade com os espíritos
  6. fé raciocinada
  7. evolução
  8. pluralidade dos mundos habitados
  9. moral de Jesus
Segundo a terceira Lei de Newton:
Para toda interação, na forma de força, que um corpo A aplica sobre um corpo B, dele A irá receber uma força de mesma direção, intensidade e sentido oposto.
Segundo os dicionários:
Ação – ato o efeito de agir. Manifestação de uma força, de uma energia, de um agente.
Reação - Ato ou efeito de reagir. Resposta a uma ação qualquer. Comportamento de alguém em face de ameaça, agressão, provocação etc.

Com os conceitos acima em mente e baseados nas obras da Codificação, podemos dizer que a Lei de Causa e Efeito é uma lei universal e imutável de Deus, onde cada um irá sofrer as consequências (reações) de seus atos, escolhas e pensamentos (ações). Boas ações irão gerar boas consequências e más ações irão gerar sofrimentos. Esta Lei  é essencial para o nosso aprimoramento e não tem como objetivo nos castigar e sim corrigir.

André Luiz, no livro Ação e Reação, diz:
"É a conta do destino criada por nós mesmos, englobando os créditos e os débitos que em particular nos digam respeito. É o sistema de contabilidade do Governo da Vida."
Nosso Pai Maior nos deu o livre-arbítrio, que é a liberdade de escolha, mas por cada escolha iremos responder perante a Justiça Divina.

As boas escolhas produzem progresso evolutivo, enquanto as escolhas infelizes geram provações  ou  expiações que se configuram como mecanismos evolutivos. As provas são situações aflitivas que costumam ser objeto de escolha dos espíritos minimamente lúcidos ainda antes da encarnação. Por expiação, o Houaiss entende como “purificação de crimes ou faltas cometidas”. Seria uma situação da vida que envolve sofrimento físico ou psicológico, que se acha ligada a um evento passado, que o sujeito percebe como errado, ou de cujas consequências não consegue se evadir facilmente.


Perante a Lei de Causa e Efeito não existem "vítimas". Sofremos porque merecemos, porque precisamos crescer, evoluir. A Lei de Deus é justa e sábia. É por isso que dizemos que o acaso não existe. Isso quer dizer que tudo o que se nos acontece deveria nos acontecer. Nesse sentido, Deus não perdoa e nem premia. Faz, simplesmente, cumprir a sua Lei. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.

No capítulo 5 do Evangelho Segundo o Espiritismo, encontramos a seguinte orientação:
12.Pelas palavras: Bem-aventurados os aflitos, porque eles serão consolados, Jesus indica, ao mesmo tempo, a compensação que espera os que sofrem e a resignação que nos faz bendizer o sofrimento, como o prelúdio da cura. Essas palavras podem, também, ser traduzidas assim: deveis considerar-vos felizes por sofrer, porque as vossas dores neste mundo são as dívidas de vossas faltas passadas, e essas dores, suportadas pacientemente na Terra, vos poupam séculos de sofrimento na vida futura. Deveis, portanto, estar felizes por Deus ter reduzido vossa dívida, permitindo-vos quitá-las no presente, o que vos assegura a tranqüilidade para o futuro.  
Já no Livro dos Espíritos, capítulo II, item 964
 Todas as nossas ações são submetidas às leis de Deus; não há nenhuma delas, por mais insignificante que nos pareçam, que não possa ser uma violação dessas leis. Se sofremos as conseqüências dessa violação, não nos devemos queixar senão de nós mesmos, que nos fazemos assim os artífices de nossa felicidade ou de nossa infelicidade futura.
O conhecimento e a compreensão desta Lei podem nos auxiliar na aceitação das atuais provações, levando-nos à resignação e às mudanças necessárias para nosso crescimento espiritual e consequente reforma íntima.

Os passos para a quitação de nossos débitos com as Leis Divinas, segundo Allan Kardec expôs na obra O Céu e o Inferno são:
  • arrependimento
  • expiação
  • reparação
 O arrependimento suaviza as dores da expiação, abrindo pela esperança o caminho da reabilitação; só a reparação, contudo, pode anular o efeito destruindo-lhe a causa. (...)
 A reparação consiste em fazer o bem a quem se havia feito o mal. Quem não repara os seus erros nesta vida por fraqueza ou má vontade, achar-se-á  numa existência posterior em contato com as mesmas pessoas a quem prejudicou, e em condições voluntariamente. ( O Céu e o Inferno, parágrafos 16 e 17)
 Os efeitos de nossas ações podem ser imediatos, após a morte e na reencarnação. E esses efeitos vão durar enquanto não terminar o efeito que o gerou.

A prática do bem é uma das formas que a Providência Divina nos concede para amenizar nossos débitos, e isto inclui-se a mediunidade. Ouvimos muito no meio espírita que o médium é um grande devedor e é verdade.

Quando compreendemos estes ensinamentos, sofremos menos, pois entendemos que somos devedores, que nada acontece por acaso. Com o tempo, mudamos nossas atitudes e sentimentos, a fim de nos harmonizarmos melhor com as Leis Divinas.

Pela Lei de Causa e Efeito, o homem pode compreender a razão de seus sofrimentos, e de todo o mal que aflige a humanidade, e pode acima de tudo conhecer e amar um Deus justo e racional, que dá a cada um segundo suas obras.

Livros recomendados:
Allan Kardec
  • Livro dos Espíritos
  • Evangelho Segundo o Espiritismo
  • O que é o Espiritismo
  • A Gênese
  • O Céu e o Inferno
( Clique aqui para baixar legalmente estas obras no site da F.E.B.)

André Luiz

Emmanuel
  • Há dois mil anos
  • 50 anos depois
  • Paulo e Estevão

Romances

Filmes
Vídeo-aula



    leia mais ►

      ©Blog do Livro Espírita | Todos os direitos reservados | Template exclusivo Dicas Blogger