segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Relatos Umbandistas - André Cozta e Pai Thomé do Congo

Resenha: Nesta obra psicografa por André Cozta encontramos 7 relatos de espíritos que foram médiuns de Umbanda enquanto estavam encarnados, mas que por motivos diversos não conseguiram lograr êxito em suas missões.

A principal mensagem de Relatos Umbandistas é quanto ao fato de que médiuns devem estar atentos a sua mediunidade, não deixando pra depois o que podem fazer ainda hoje.

Nos relatos desses 7 irmãos podemos verificar casos de vaidade, procrastinação, falta de conhecimento, comodismo, medo, falta de fé e de confiança. É um alerta a todos que estão trabalhando na seara umbandista!

O livro contém 100 páginas e  foi prefaciado pelo sacerdote Alexandre Cumino. André Cozta é médium e mago iniciado na Magia das 7 Chamas Sagradas.

Ficha Técnica:
Médium: André Cozta
Espírito: Pai Thomé do Congo
Páginas: 100
Gênero: relatos

Comentário: O livro é bem fininho e a linguagem empregada é de fácil compreensão. Como citado acima, é um alerta a todas as mediunidades, trazendo exemplos reais do que devemos evitar para alcançarmos um melhor aproveitamento dessa abençoada missão.

Trecho:
Eu era uma mulher vaidosa. Porém, em contraponto a essa vaidade, sentia prazer em auxiliar as pessoas. (...) Sentia necessidade de "contar vitórias, relatar às pessoas meus feitos no trabalho que realizava como médium umbandista. (...) Convidava pessoas para irem às sessões, dizendo sempre que a casa era ótima e que se sentiriam muito bem lá, mas o meu verdadeiro intuito era de que elas assistissem-me atuando, como se eu fosse uma atriz (...) Tomada pela vaidade, fui afastando meus guias de mim (..) A situação chegou a um ponto em que pouquíssimas pessoas procuravam-me durante os trabalhos.(...) Aos 50 anos, já havia rodado por tantas casas que me encontrava desiludida com a prática religiosa e mediúnica. (...) Tornei-me uma dona de casa triste, deprimida e passei a tomar alguns remédios. (...) Assim fui vivendo até os 65 anos, quando faleci. (...) Relato isso a todos os irmãos umbandistas para que se mantenham atentos! (VAIDADE, UMA ARMADILHA PARA O MÉDIUM - relato enviado pelo espírito Sarah. Páginas de 77 a 87)

leia mais ►

domingo, 14 de setembro de 2014

Mediunidade- Um Mergulho no Mundo Oculto dos Terreiros - Vicente Paulo de Deus e Mário Azevedo

Resenha:  Mediunidade- Um Mergulho no Mundo Oculto dos Terreiros é um livro de Vicente Paulo de Deus ditado pelo espírito Mário Azevedo, com  prefácio de Rubens Saraceni. Nesta obra, o leitor irá encontrar uma narrativa em forma de romance mostrando um pouco do que acontece na contraparte astral de um terreiro de Umbanda.

Mário foi médium de Umbanda e desencarnou em um acidente de carro. Veio a despertar no cemitério (calunga pequena) após 3 meses de seu desencarne. Conta-nos que estava "apavorado" e passou a gritar por socorro, quando veio em seu auxílio o Caboclo Sete Flechas, seu mentor espiritual, levando até ele os esclarecimentos necessários. A entidade o encaminhou para sua casa e depois para o terreiro onde trabalhava, deixando-o sob os cuidados do guardião Senhor das Sete Porteiras. Iniciava aí a vida de Mário no plano espiritual.
Ele me explicou que por eu ter sido um médium íntegro, sofri pouco nos umbrais da minha consciência e pude por isso contar com a proteção deles. (...) O Caboclo Sete Flechas deixou-me bem claro que, quanto mais íntegros, mais leves nos tornamos e podemos assim subir mais alto; ao contrário, quanto mais pesados, mais nos afundamos nos umbrais.(pg 26)
Mário passa a participar das giras no terreiro do "Seu Mauro" ( Choupana do Caboclo Meia-Lua) e a conviver com os trabalhadores desencarnados dessa Casa. Assim, vai dividindo conosco suas impressões e aprendizados, dentro, claro, do que foi permitido.
Durante esses trabalhos, algo do lado espiritual me chamou a atenção. À medida que Seu Mauro cantava pontos e fazia preces, as formas mentais por ele criadas eram armazenadas em forma de bolhas (..) essas bolhas serviriam de alimento fluídico. (pgs 27 e 28)
A equipe espiritual dessa Casa se envolve em um grande e importante trabalho de desobsessão, sob o comando do Sr Exu Ganga. Marcelo é dirigente de um outro terreiro e está desvirtuando sua mediunidade, cobrando por "trabalhos feitos" e passando a ser escravo de espíritos trevosos.
O jovem Marcelo, mesmo antes de encarnar, já tinha um ser das trevas a observá-lo; quando encarnou, esse espírito com quem ele teve um profundo contato em outra vida deu um jeito de saber onde ele estava. O tempo passou, e esse Mago Negro que o seguia foi coagido e preso por outro ser das trevas que se intitulou Exu do Lodo. (pag 62)
Marcelo continuava sendo observado por seus verdadeiros guias, entretanto, como se embrenhava mais e mais com as trevas, as entidades da Luz nada podiam fazer a não ser aguardar o momento certo de agirem, respeitando o livre-arbítrio do invigilante médium.

E assim segue uma grande batalha espiritual, até a prisão e encaminhamento de todos os envolvidos. E o Mago Negro que se intitulava Exu do Lodo passa a ser mais um trabalhador da seara umbandista.


Ficha Técnica:
Médium: Vicente Paulo de Deus
Espírito: Mário Azevedo
Páginas: 122

Comentário: Reportando histórias do mundo espiritual, o irmão Mário fornece diversas informações relevantes sobre o dia-a-dia de um terreiro. Fala sobre as Leis de Pemba e de  Lei de Salva; descreve ataques espirituais ao terreiro, a médiuns e familiares dos integrantes da corrente; demonstra o árduo e imprescindível  trabalho dos Exus de Lei e reforça a importância da vigilância constante e do estudo. Gostei muito do livro, pois ainda é raro encontramos obras umbandistas neste formato. O livro é fininho, mas com um conteúdo super interessante; tem boa diagramação, com letras confortáveis.

Adquiri este livro no site Terra Mystica.
leia mais ►

domingo, 7 de setembro de 2014

Memórias da Umbanda do Brasil - Ronaldo Linares e Diamantino Trindade

 Sinopse: A história da Umbanda é uma grande pesquisa em construção. Assim, sempre que novos documentos se apresentam, os autores procuram fazer a sua divulgação para que cada vez mais os umbandistas conheçam as origens e o desenvolvimento histórico da sua religião. Esta obra resgata alguns desses documentos e aborda alguns temas que, ao longo da história, têm sido motivo de muitos estudos e polêmicas, como as conquistas dos umbandistas, a Umbanda na Mídia, a metodologia utilizada na pesquisa histórica da Umbanda, pontos de força de um terreiro, obsessores, animismo e mistificação. 

Resenha:  A História da Umbanda do Brasil é um livro documentário, repleto de informações, notícias e fotografias acerca do desenvolvimento da religião de Umbanda no Brasil.  Escrito por dois baluartes do movimento umbandista - Pais Ronaldo Antonio Linares e Diamantino Fernandes Trindade - conta também com a colaboração de Alex de Oxossi, Gilberto Angelotti e Renato Henrique Guimarães Dias.

Através desta obra, o leitor irá conhecer (ou rever)  a fundação da Umbanda em 1908, pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas através da mediunidade de Zélio de Moraes, bem como conhecer diversos fatos históricos ocorridos de lá para cá.

O livro traz diversas ilustrações, inclusive com matérias veiculadas em grandes revistas ao longos dos anos, tais como Manchete, Fatos e Fotos, Planeta, entre outras.

Clique na imagem para ampliar

Além da parte histórica, encontramos importantes esclarecimentos sobre alguns fundamentos da Umbanda que muitas vezes são seguidos nos terreiros sem a devida compreensão por parte de seus frequentadores.
  1. uso dos pontos cantados
  2. oferendas para Yemanjá
  3. o batuque na Umbanda
  4. pontos de força de um terreiro
  5. o marafo
  6. obsessão, animismo e mistificação
Eu gostei muito desse livro e recomendo a todos que desejam conhecer melhor a história dessa religião tão acolhedora.

Ficha Técnica:
Autores: Ronaldo Linares e Diamantino Trindade
Páginas: 254
Gênero: documentário

Trechos:
A obsessão oblitera as faculdades medianímicas, enquanto a prece é sempre um poderosos auxiliar. O médium em geral é um grande devedor, que pela missão mediúnica vai resgatando os erros do passado. É uma oportunidade abençoada que a Espiritualidade maior fornece, e o médium, no entanto, para alcançar o objetivo da moratória moral e espiritual, deve se manter disciplinado, humilde, estudando sempre e participando dos trabalhos espirituais e materiais do grupo ao qual mais se afinizou. (Capítulo "Mediunidade Esclarecida", por Alex de Oxossi. Página 181)
Blogs dos autores:
Ronaldo Linares: Mandala dos Orixás
Renato Henrique Dias: Registros de Umbanda
Alex de Oxossi: Povo de Aruanda

Comentário: Pai Ronaldo conviveu com Pai Zélio, conforme nos relata tanto neste livro quanto em Iniciação à Umbanda. É um dos grandes defensores da Umbanda no Brasil. No vídeo abaixo, Pai Ronaldo discursa na Assembleia Legislativa de São Paulo, no lançamento do selo comemorativo em homenagem à Umbanda. É emocionante!


leia mais ►

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Os Chacras - C. W. Leadbeater

Os Chacras é considerado um clássico da literatura espiritualista, onde o clarividente inglês C. W. Leadbeater escreve sobre os 7 principais centros de força, ou chacras: chacra básico, chacra esplênico, chacra umbilical, chacra cardíaco, chacra laríngeo, chacra frontal e chacra coronário.

Chacras são estruturas energéticas do duplo etérico responsáveis por várias funções espirituais, mentais e orgânicas do ser. São pontos de conexão pelos quais a energia flui de um para outro veículo ou corpo humano.

O livro traz informações e ilustrações de cada um desses centros de forças, baseado em observações do autor e também em teorias da teosofia.

Ficha Técnica:
Autor:  C. W. Leadbeater
Páginas: 144
Categoria: espiritualista

Comentário:
Eu não gostei do livro. Li por necessidade de compreender melhor o tema - já que está sempre presente em obras espíritas e também nos aconselhamentos das entidades, mas achei este livro esotérico demais, de pouca utilidade prática.


Trecho: A palavra chakra é sânscrita, e significa roda. Também se usam várias acepções figuradas, incidentais e por extensão, como nas línguas ocidentais. Da mesma forma como falamos da roda do destino ou da fortuna, assim também os budistas falam da roda da vida e da morte (...) O uso em acepção figurada da palavra chakra. de que tratamos neste momento, refere-se a uma série de vórtices semelhantes a rodas que existem na superfície do duplo etérico do homem.

leia mais ►

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Diálogo com um executor - Rubens Saraceni

Em Diálogo com um executor conheceremos a história de Mário Ventura, desencarnado no ano de 1953 em um acidente de carro após ser fechado por um caminhão.

Mário fica vagando, mas logo percebe que não faz mais parte do mundo dos vivos. Acaba sendo socorrido e levado a um abrigo, onde passa cerca de 1 ano se recuperando. Até que sua pequena filha Eliana chega a este abrigo, após ter sido duramente agredida pelo padrasto Vitor. Mário acaba descobrindo que sua esposa se casou com seu melhor amigo, com o qual já vinha traindo-o. Vitor vivia alcoolizado e chegou a abusar da filha mais velha de Mário, Priscila, levando-o à revolta e ao desejo de vingança.

Mário é orientando pelos benfeitores a aceitar os desígnios de Deus e deixar que a ação das Leis Divinas se encarregassem de seus desafetos, mas acaba abandonando o abrigo e se juntando a seres trevosos, especializados em provocar o desencarne de "canalhas".
-Este verme pagou pela morte de Eliana?
-Ainda irá pagar.
-Quando?
-No dia em que a Lei Divina voltar-se contra ele, tudo será ajustado.
-A Lei Divina! Muito boa essa lei, não? Permite que os canalhas façam o mal na Terra e fiquem impunes.
-Ela é perfeita, Mário. Não julgue mal as coisas de Deus.  (pg 31)

Mário acredita ser um executor das leis divinas. Sua filha Priscila é assassinada em 1968 e passa a  trabalhar para uma dama das trevas. Mário a auxilia nos casos mais complicados.
Foi assim de 1972 até 1983 (...) Levei para o inferno pastores, padres, médicos, policiais, marginais, políticos e toda espécie de canalha que torna imundo aquilo que deveria ser bom e belo. (...) Para minha filha, eu era seu braço direito armado a escoltá-la quando descia muito fundo nas Trevas. (pg 43)
Tudo ia aparentemente bem até que Priscila é designada a importunar o médium, Rubens Saraceni. Priscila, Mário e seus escravos acabam se deparando com o guardião de esquerda do médium, que os captura e revela os motivos dos sofrimentos dessa família.
Tudo o que nos parece injusto tem uma razão de ser, e foi motivado por uma ação anterior que apenas está provocando um efeito tardio de reação. Eu teria de lutar contra meu instinto e amoldar-me às regras da Luz, ou seja, confiar em Deus e na Sua Justiça. (pg 61)
 O médium, Mário, sua esposa, suas filhas, um dos benfeitores do abrigo e a dama das trevas estavam todos ligados devido a uma encarnação ocorrida há 300 anos atrás.

Devido aos inúmeros débitos contraídos, a família de Mário passará por um processo de depuração num abismo, onde serão espancados, chicoteados, picados por serpentes, atacados por cães ferozes e violentados sexualmente.

No capítulo 8 - um dos mais fortes do livro - o autor irá narrar cenas com espíritos que se deixaram levar pelas forças do sexo desvirtuado, com descrições um tanto quanto perturbadoras sobre relações sexuais em regiões infernais. É preciso fôlego para conseguir ler esta parte.

Reencarnação, Lei da Causa e do Efeito, Choque Anímico, Guardiões, Luz x Trevas, Sexualidade. Todos esses temas reunidos em um romance de apenas 120 páginas. Este livro conta a trajetória de um espírito caído até retornar à Luz.
leia mais ►

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Desafiando o destino - Rose Elizabeth Mello

Resumo: Lançamento da Editora Vida & Consciência, Desafiando o destino é um romance, escrito por Rose Elizabeth Mello com inspiração de seu mentor Yann. A história começa em 1855. Louise é uma jovem impetuosa, que não mede esforços para atingir seus objetivos. Ela vive no interior de São Paulo, com seus pais Catarina e Amilcar - um próspero cafeicultor da região do Vale do Paraíba -  e com os irmãos Isabelle e Robert. Apesar da vida confortável, o sonho de Louise é viver na corte, no Rio de Janeiro. Num jantar oferecido em sua residência, conhece o médico Homero e vê nele o caminho para sua ascensão social. O problema é que Homero já é noivo da frágil Sophie e não demonstra nenhum interesse por Louise.

Inspirada por sua ambição, Louise tem a ideia de dizer que está grávida de Homero para forçar um casamento com ele, mas na verdade ela está grávida do feitor Bruno, funcionário da fazenda de seu pai. Louise leva essa ideia pra frente, causando enorme sofrimento aos seus familiares, a Homero e principalmente a Sophie, que acaba atentando conta a própria vida. Apesar de tudo, Louise continua demonstrando imensa frieza de sentimentos e termina esta fase do livro de acordo com seu merecimento.

A partir do capítulo 13, a história salta para o ano de 1971 e passa a contar uma nova encarnação de Louise, desta vez retornando como Camila, uma jovem pobre, que mora no sertão nordestino com seus pais e irmãos. Apesar de ter sofrido muito enquanto estava na erraticidade e de ter feito a proposta de se renovar espiritualmente, Louise/Camila continua ambiciosa. Cortez, um jovem escravo que trabalhava na fazenda de Amilcar, será seu guardião. Será que ele terá sucesso em tão difícil missão?

Além de Camila, conheceremos a inglesa Anne que se muda para o Brasil com a pequena Fay, fruto de um relacionamento acabado com Edward. Anne conhece Salviano (Homero) com quem acaba se casando. Salviano é um famoso advogado, que apesar de ter bom coração é vaidoso demais. Os destinos dessa família e de Camila irão se cruzar, pois a jovem consegue se mudar para o Rio de Janeiro e se forma em Direito, graças às suas táticas ardilosas e passando por cima de tudo e de todos.

Salviano é separado de Theodora, com quem teve Alícia. No decorrer da história, Alícia irá conhecer Marina e a Doutrina Espírita, levando alento à mãe e para outros personagens da trama.

Ficha Técnica:
Autor: Rose Elizabeth Mello   
Categoria: Romance
Paginas: 416

Comentário:
O livro é excelente! É daqueles que você lê sem parar. Os personagens são muito bem construídos e a cada capítulo conhecemos novas revelações. O tema central é a reencarnação e a Lei de Causa e Efeito. Nem todos os personagens estiveram juntos em vidas passadas e alguns sintonizam com espíritos infelizes devido às suas póprias más tendências e não devido a débitos pretéritos. Quando à arte gráfica, o conforto para leitura é total, com fonte grande e fundo branco.

Arte gráfica


Trecho:
Alícia olhou surpresa por sobre o próprio ombro direito e admirou-se:
-Tem um espírito ao meu lado? Pode vê-lo?
-Sim, é uma moça. E está com um semblante tão bonito! Ela está me relatando que inspirou seus bons sentimentos enquanto você discutia com sua mãe. Percebeu que tudo o que você queria era poder ajudar sua mãe, dizer-lhe algo que contribuísse para que ela pudesse melhorar a própria vida.  Ela a ajudou orientando e organizando seus pensamentos para que você falasse o que sentia em seu coração sem mágoas e sem agressões. Apenas a verdade dita com o amor de filha.
Alícia deixou-se cair sentada na areia úmida e olhava fixamente para Marina enquanto balbuciava as palavras com dificuldade:
-Meu Deus! Isso realmente aconteceu!

leia mais ►

Arquivo do blog

  ©Blog do Livro Espírita | Todos os direitos reservados | Template exclusivo Dicas Blogger